Estrelas do céu

Estrelas do céu

Você conhece o gigante da história do João e o pé de feijão?
Pois é, agora ele é meu vizinho, mora aqui perto da tia Beatriz.
E quando preciso de uma escada grande, mas bem grande mesmo! 
Peço emprestada a escada do gigante. 
Sabe porque eu preciso da escada grande? 
Para ir lá no céu, buscar umas estrelinhas. 
Mas só pego as estrelas pequeninas, aquelas que ainda estão nascendo! 
As outras são grandes e pesadas.Não dou conta de carregar. 
Eu pego um balde pequeno, mas não tão pequeno, e chamo minha filha caçula. 
Ela,  Cibele, tem estrelas nos olhos! 
Enxerga tudo com muito brilho.   
Desde pequena gosta de olhar o céu, quando as estrelas começam a nascer. 
Fica horas observando. 
As estrelas vão acendendo aos poucos, de todos os tamanhos!  
Então, ela é a pessoa certa para me acompanhar e ajudar.
Cibele também me ajuda a subir na escada do gigante. 
Os degraus são enormes, muito altos, e ela me ajuda.Sabe como? 
Com as duas mãos no meu bumbum, ela vai me empurrando escada  acima.
Quando eu subo um degrau, puxo Cibele com uma mão. 
Com a outra mão, me seguro na escada com o balde no braço, parecendo uma bolsa. 
Assim vamos subindo, com muito esforço e determinação.
E sem coragem de olhar para baixo!
Para chegar lá, com o céu cheio de estrelas, começamos a subir pela manhã, bem cedinho.
A subida não pode ser em dias de chuva. 
O céu deve estar bem azul, sem nuvens! 
A ida é longa e leva muito tempo. Chegamos no céu à noitinha...
Bem na hora que as estrelinhas estão acordando, preguiçosas, piscando devagarinho...
É lindo quando estamos chegando! 
Como brilham! 
Tem estrelas de todos os tamanhos!
Então começamos a escolher as nossas estrelas: as pequenininhas e brilhantes.
Vamos pegando uma a uma e colocando no balde com delicadeza... 
Com o balde cheio, começamos a descer. 
O problema é segurar forte e com muito cuidado o balde cheio, para não deixar cair uma estrelinha ou o balde virar.
Todo cuidado é pouco. 
Para voltar, uma desce um degrau e a outra passa o balde e depois a outra desce. 
A descida leva ainda mais tempo. Dura um dia inteiro...
Quando chegamos, já de noitinha.
Guardamos as estrelinhas em uma gaveta bem fechada para que elas não fujam e vamos entregar a escada do gigante. 
Que pena que ele não gosta de crianças! 
Assim não podemos contar onde ele mora.